terça-feira, 7 de janeiro de 2014

PMDB deseja palanque amplo e pode preterir PT


fernando-bezerra_370

Cinco de janeiro. Estamos a exatos nove meses das eleições deste ano. O quadro eleitoral no Rio Grande do Norte se mantém indefinido, favorecendo as especulações neste período de veraneio.
Em longa entrevista ao matutino Tribuna do Norte, o deputado estadual Fernando Mineiro dá como certa uma aliança entre o PT e o PMDB.
Segundo o petista, o PMDB indicará o candidato ao governo e o PT ficará encarregado da candidatura ao Senado.
Sei não. Eu acho pouco provável que o PMDB descarte um acordo com Wilma de Faria (PSB).
Eu soube que as conversas de Henrique Eduardo Alves com a ex-governadora estão adiantadas.
O PMDB topa fechar com Wilma para o Senado, mas ainda sonha que a ex-governadora opte por uma candidatura à Câmara Federal. Este segundo cenário facilitaria uma acomodação com o PT de Fátima Bezerra, que não abre mão de disputar a única vaga de senador.
O objetivo de Henrique Eduardo Alves é formar um amplo palanque para garantir a eleição do candidato peemedebista. E Fernando Bezerra (foto) é o nome que se consolida no processo de escolha interna partidária. 
Me disseram que Bezerra já trabalha num plano de metas para apresentar à cúpula do PMDB.
Henrique Eduardo Alves está operando para definir o nome do PMDB e influir na escolha dos adversários.
O presidente da Câmara dos Deputados morre de medo de ver Robinson Faria sentado na cadeira ocupada hoje por Rosalba Ciarlini. Isso vai atrapalhar os planos eleitorais do PMDB.
Se assumir o governo, o vice de Rosalba pode ter chances reais na disputa majoritária. Se Rosalba conseguir reverter a cassação do TRE, Robinson Faria não vinga.
2014 começa assim: o PMDB deve apresentar nome próprio para o governo, Robinson Faria espera assumir o governo com a cassação de Rosalba, Fernando Mineiro descarta candidatura ao governo, a governadora está fora do páreo por decisão de Justiça Eleitoral e Wilma se mantém como incógnita para qualquer cargo.
Fátima Bezerra é candidata ao Senado, mas pode ser opção para o governo. Basta que o PMDB feche com Wilma. A deputada do PT pode ser o fato novo do ano eleitoral.
Fonte: Blog do Diogenes - Nominuto.com 

Nenhum comentário: