domingo, 21 de dezembro de 2014

Sucesso pelo país, Pablo fala sobre carreira e “sofrência”

noticia_120042
Sofrência: não consta no dicionário nacional, mas o neologismo virou termo constante no vocabulário dos brasileiros. Na cultura popular, a palavra é um misto de sofrimento e carência no ritmo do arrocha e está diretamente relacionada a um artista com mais de 20 anos de carreira: Pablo.
O cantor já viu algumas de suas músicas fazendo sucesso na voz de artistas consagrados, gravou nove CD’s e depois de tanto tempo na estrada, chegou a hora de ser o protagonista. Em conversa exclusiva com o portal Nominuto, em Mossoró, Pablo, falou sobre o novo momento da sua carreira.
“A gente vem de uma trajetória de 20 anos de carreira. Eu já passei por vários grupos, desde a época do Asas Livres e grupo Arrocha. Hoje estou em carreira solo. O trabalho está sendo bem conceituado e até me patentearam de o “rei da sofrência” e isso é bem bacana”, disse Pablo.
Pablo contou, ainda, que é o “título” vai ao encontro do estilo das músicas cantadas por ele. “A sofrência eu acho que é pelo fato de cantar o amor. Cada música que eu canto, eu canto de dentro do coração. A cada música eu canto como se eu passando por aquela determinada situação”, falou.
Falando em passar pela situação, o cantor disse que nunca sofreu por amor. “Eu não sei se eu posso dizer que sofri por amor. Aquela coisa de adolescência, namorinho besta, mas eu casei com 15 anos de idade, então, estou com minha esposa há 20 anos. Eu nunca sofri, não chamo aquela época de adolescência de sofrer de amor”
pablo-2-h
Sobre os boatos de separação, Pablo nego o fato. “É conversa, é boato. Como eu falei, tenho 15 anos de casado e a cada boato negativo que surge, eu me apego mais a minha família, porque a família é a base de tudo”.
Pablo falou, também, sobre as perspectivas para a carreira. “Eu nunca quis muita coisa. Eu sempre quis que Deus me abençoasse e eu conseguisse colocar meu pão na mesa. Eu acho que eu tenho mais do que mereço e o que vier lá na frente é consequência do meu trabalho, as coisas vão acontecer naturalmente”, completou.
Pablo nasceu em Candeias, interior da Bahia, como Agenor Apolinário dos Santos Filho, mas foi rebatizado na infância por um fã, que o nomeou de Pablo. O cantor começou a cantar aos seis anos com o pai, que era seresteiro.
Entre as músicas de sucesso gravadas por outros artistas, destacam-se “Amor de Sobremesa” pela banda Cheiro, “Fui Fiel” por Luan Santana, “Vingança do Amor” pela conterrânea Ivete Sangalo e outras. Já os ritmos gravados pelo próprio cantor e que figuraram no primeiro lugar nas rádios das regiões Norte e Nordeste estão “Porque Homem não Chora” e “Bilu Bilu”.
Pablo está com três shows marcados em terras potiguares. Um no dia cinco de janeiro, em Brejinho, outro em Natal, no dia 17 de janeiro, e o terceiro dia 19 em Parelhas. A média de shows do artista é 25 por mês, com cachês que giram em torno dos R$ 180 mil.
Nominuto.com

Nenhum comentário: