segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

PM suspeito de matar lutador de MMA deve ser indiciado por porte de arma



Carro onde o tenente Iranildo Félix sofreu atentado em Macaíba (Foto: Divulgação/PM e Reprodução/Inter TV Cabugi)
Tenente Iranildo Félix sofreu atentado em Macaíba (Foto: Divulgação/PM e Reprodução/Inter TV Cabugi)



O tenente da Polícia Militar Iranildo Félix – suspeito de matar o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade no dia 10 deste mês na zona Sul de Natal – deve ser indiciado por porte ilegal de arma de fogo. Segundo o delegado Normando Feitosa, que investiga o atentado que o oficial sofreu na tarde deste domingo (16), quando ele e a ex-mulher dele foram alvos de disparos numa estrada carroçável em Macaíba, na Grande Natal, o oficial não poderia estar portando nenhuma arma. Na ocasião, o tenente levou um tiro na altura do abdômen, mas o disparo atingiu o colete. Já a ex-mulher, a estudante de Direito Izânia Maria Bezerra Alves, de 31 anos, levou vários tiros na cabeça e morreu na hora 
Ainda de acordo com o delegado, o tenente disse em depoimento que estava com a ex-mulher em um Fiat quando foram surpreendidos por dois homens em uma motocicleta. “O tenente Iranildo contou que estes dois homens estavam numa moto. Os criminosos teriam anunciado um assalto e mandado eles pararem e descerem do carro. O tenente disse também que levou dois tiros na barriga, que atingiram o colete. Então ele caiu no chão atordoado. Daí o tenente disse que um dos criminosos começou a atirar na mulher. Foi quando ele pegou a arma e atirou contra os dois assaltantes, que fugiram”, relatou Normando.Após ser socorrido ao hospital, o tenente foi levado à Delegacia de Plantão da zona Sul da capital para prestar depoimento. Lá, ele teve o colete balístico que usava, uma pistola calibre 380 e 44 munições apreendidos. Ao delegado, o tenente disse que reagiu e atirou várias vezes contra os criminosos. “Vou solicitar ao comandante geral da PM a portaria que trata da licença médica do tenente Iranildo. Se ficar constatado que ele não poderia andar armado, ele será indiciado por porte ilegal de arma de fogo”, afirmou Normando.
"Contudo, o próprio tenente acredita que o que aconteceu não foi um assalto, tanto que não levaram nada. Ele afirma que foi mesmo alvo de um atentado", concluiu o delegado.
Ao G1, o comando da PM disponibilizou o Boletim Geral da corporação (datado de 9 de janeiro deste ano) que trata da licença médica do tenente Iranildo. Nela, é clara a determinação que proibi o tenente de portar arma de fogo no período em que estiver de licença. Em razão da apreensão da arma do oficial, o coronel Francisco Araújo Silva, comandante geral da corporação, afirmou que a PM irá instaurar uma sindicância para apurar o ocorrido e que o tenente irá responder, administrativamente, por desobediência à norma da corporação.
Trecho do Boletim Geral da PM que trata da licença médica do tenente Iranildo Félix (Foto: Reprodução)
Trecho do Boletim Geral da PM que trata da licença médica do tenente Iranildo Félix (Foto: Reprodução)

Fonte: Portal G1/RN

Nenhum comentário: