sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Resultado do concurso para soldado da Polícia Militar do RN é divulgado; confira lista de aprovados

O governo do Rio Grande do Norte divulgou nesta sexta-feira (19) o resultado do concurso público para a Polícia Militar, com 1000 vagas ofertadas. Com 12.841 candidatos inscritos. o certamente foi marcado pela expressiva ausência de concorrentes. com 60% de registro de faltosos.
Clique AQUI para acessar a lista completa dos aprovados, que foi publicada na edição desta sexta-feira (19) do Diário Oficial do Estado.

TSE nega pedido do PT para remover 123 postagens em redes sociais

Foto: STJ/Divulgação – 08.08.2018

O ministro Luís Felipe Salomão, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), negou nesta quarta-feira (17) um pedido da coligação de Fernando Haddad (PT) para remover imediatamente 123 postagens em redes sociais. A coligação “O Povo Feliz de Novo” (PT/PCdoB/PROS) acionou o TSE sob a alegação de que as publicações veiculam informações “inverídicas, difamatórias e injuriosas” que agridem o PT (Partido dos Trabalhadores).
Entre as postagens contestadas estão mensagens de usuários no Facebook que afirmam “Pedofilia é crime diga não ao PT”, “Ideologia de gênero nas escolas. Ninguém nasce menino ou menina. Todo mundo pode ser o que quiser! É isso que Haddad ensina nas escolas. Amanhã pode ser muito tarde!”, “PT e Haddad com o kit gay para seus filhos, não vote nele” e “Haddad indica para Ministro da Educação Jean Willis (sic)…pensem direitinho pra depois não ficarem no ouvido da gente reclamando”
Interferência
Em sua decisão, Salomão observou que a atuação da Justiça Eleitoral “em relação a conteúdos divulgados na Internet deve ser realizada com a menor interferência possível”, assegurando aos usuários da internet o exercício da liberdade de pensamento e expressão.
“Em juízo preliminar, não obstante encontradas publicações que apresentam realmente teor ofensivo ou negativo, é forçoso reconhecer que exteriorizam o pensamento crítico dos usuários das plataformas de rede sociais ora impugnadas, de modo que a liberdade de expressão no campo político-eleitoral abrange não só manifestações, opiniões e ideias majoritárias, socialmente aceitas, elogiosas, concordantes ou neutras, mas também aquelas minoritárias, contrárias às crenças estabelecidas, discordantes, críticas e incômodas”, afirmou Salomão.
“O controle sobre quais conteúdos ou nível das críticas veiculadas, se aceitáveis ou não, deve ser realizado pela própria sociedade civil, porquanto a atuação da Justiça Eleitoral no âmbito da Internet e redes sociais, ainda que envolva a honra e reputação dos políticos e candidatos, deve ser minimalista, sob pena de silenciar o discurso dos cidadãos comuns no debate democrático”, concluiu Salomão.
O ministro ainda destacou que a própria coligação e os demais usuários da internet podem usar o espaço de comentário nas redes sociais para rebater as acusações e alertar para a falsidade das informações.
Estadão

Pesquisa XP/Ipespe: Bolsonaro tem 58% contra 42% de Haddad

Foto: Montagem

Pesquisa encomendada pela XP Investimentos ao Ipespe mostra que Jair Bolsonaro (PSL) tem 58% dos votos válidos contra 42% de Fernando Haddad (PT). Ambos oscilaram dentro da margem de erro em relação ao levantamento da última semana. Considerando todos os votos, Bolsonaro aparece com 51% ante Haddad (37%).
A pesquisa, divulgada nesta sexta-feira (19/10), também questionou os eleitores sobre a campanha eleitoral dos presidenciáveis. Bolsonaro é considerado melhor no programa de TV e rádio (48%) do que Haddad (30%). Nas redes sociais, o candidato do PSL tem performance ainda mais bem avaliada (59%) do que o adversário petista (20%).
Um eventual governo do PSL teria maior governabilidade, conforme a pesquisa, do que uma gestão petista. Para 45%, Bolsonaro teria governabilidade e condições para aprovar propostas no Congresso. Igual percentual de eleitores acreditam que ele teria bastante dificuldade. Vinte e dois por cento dos entrevistados acreditam na governabilidade de Haddad, enquanto 68% apontam dificuldades que o petista teria para governar.
Políticas sociais em áreas como saúde e educação (69%) são apontadas como necessidades mais urgentes para o novo governo; seguidas por propostas econômicas (17%), relacionadas à Previdência Social, por exemplo; e direitos civis (11%), envolvendo questões como porte de arma e redução da maioridade penal.
Apesar de 73% dos entrevistados se colocarem insatisfeitos com a democracia no Brasil, 56% afirmam que esse é o melhor regime de governo, 23% disseram-se indiferentes e 13% consideraram que um regime autoritário pode ser melhor do que um democrático.
O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral(TSE) com o código BR-05349/2018, e tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.
Metrópoles

Pesquisa DataPoder360: Bolsonaro tem 64% dos votos válidos contra 36% de Haddad

Foto: Sérgio Lima/Poder360 – 4.jul.2018 – 14.ago.2018

Pesquisa DataPoder360 nos dias 17 e 18 de outubro de 2018 (últimas 4ª e 5ª feiras) indica que Jair Bolsonaro (PSL) tem 64% dos votos válidos –aqueles que excluem brancos, nulos e indecisos na pesquisa. Fernando Haddad (PT) tem 36%.
Nunca em eleições presidenciais brasileiras houve uma virada num 2º turno, mesmo quando a diferença entre os candidatos era menor do que a atual –o levantamento foi finalizado a 10 dias da disputa.
A pesquisa entrevistou 4.000 pessoas em 413 cidades em todas as 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O registro na Justiça Eleitoral é BR-08852/2018.
Quando se consideram os votos totais, Bolsonaro tem 57% das intenções de voto. Haddad, 31%. Há 9% dos eleitores que dizem votar em branco ou nulo. Outros 3% não sabem ou não quiseram responder.
A pesquisa do DataPoder360 é realizada por meio de ligações para telefones celulares e fixos (a metodologia detalhada está no final deste post). Nenhuma classe social é excluída do levantamento. Cerca de 90% dos brasileiros têm acesso a telefone. O sistema faz discagens aleatórias e de maneira parametrizada para atingir comunidades de todas os segmentos demográficos –pois cada telefone está atribuído a 1 CEP e assim é possível atingir áreas de alto, médio e baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).
RECORDE DE VOTOS
Se o resultado do DataPoder360 se repetir nas urnas em 28 de outubro de 2018 Bolsonaro será o presidente da República eleito com o maior percentual de votos desde a volta do Brasil à democracia pós-ditadura militar.
Até hoje, o recordista de votos é Luiz Inácio Lula da Silva, que teve 61,27% dos votos no 2º turno de 2002.
Com seus 64%, o capitão do Exército na reserva pode quebrar a marca lulista daqui a menos de duas semanas.
CERTEZA DO VOTO
A eleição sempre pode ter movimentos de última hora, mas não há neste momento indícios como verificou-se entre alguns eleitores antes do 1º turno.
O DataPoder360 perguntou aos entrevistados se tinham certeza da decisão tomada neste momento. Entre os apoiadores de Bolsonaro, 95% declaram que votarão com certeza no militar. Para Haddad, esse percentual é de 93%. Ambos, portanto, têm votos cristalizados.
REJEIÇÃO E POTENCIAL DE VOTO

Uma virada de Haddad se torna difícil por causa da alta taxa de rejeição: 60% dos eleitores dizem que não votam em Haddad de jeito nenhum, segundo o DataPoder360. No caso de Bolsonaro, o percentual é de 37%.
É necessário levar em conta que esses percentuais são sobre o total dos eleitores.
No universo total dos eleitores, 52% dizem que votariam em Bolsonaro com certeza –quase percentual próximo ao de intenção de voto total do militar (57%). No caso de Haddad, 30% dos brasileiros respondem que votam nele com certeza (o petista tem 31% de intenção de votos totais). Eis os dados:
DEMOGRAFIA DO VOTO

O DataPoder360 estudou as variáveis por sexo, idade, nível de escolaridade, renda familiar e região.
Quando se consideram os votos totais, Bolsonaro continua tendo muito mais apoio entre homens (66%) do que entre mulheres (48%).
O militar também tem seus melhores desempenhos entre eleitores de 25 a 44 anos (62%), os de nível de escolaridade superior (64%), os com renda familiar na faixa de 2 a 5 salários mínimos (71%) e na região Sul (72%).
Já o petista tem mais votos entre mulheres (36%) do que entre homens (26%). Nos outros grupos demográficos, suas marcas mais altas estão entre jovens de 16 a 24 anos (40%), os que têm ensino fundamental ou médio (32%), eleitores sem renda fixa (44%) e no Nordeste (44%).
DataPoder 360

“SÓ ISSO”: PSOL pede no TSE que WhatsApp seja bloqueado até o fim das eleições

Foto: Lionel Bonaventure/AFP

O PSol entrou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que o aplicativo WhatsApp providencie, em até 72 horas, mecanismo que restrinja o compartilhamento, encaminhamento e transmissão de mensagens, alegando que as medidas são necessárias para evitar ou reduzir a circulação de notícias falsas. O pedido, feito na quinta-feira, também solicitou que seja reduzido o tamanho de novos grupos no aplicativo.
Inicialmente, um pedido alternativo requeria que, caso o TSE não considerasse as primeiras medidas suficientes, fosse suspenso o aplicativo em todo o território nacional a partir de sábado (20/10) até o fim das eleições. Essa solicitação chegou a ser divulgada por veículos e agências de notícia, fazendo, inclusive, parte da primeira versão desta matéria.
O partido, no entanto, fez um ajuste na representação protocolada junto ao TSE retirando essa parte. Assim, o PSol esclareceu que não pediu a suspensão do aplicativo. “(O PSol) apenas delega que o TSE tome medidas no caso de não cumprimento das medidas de segurança”, afirma nota da legenda.
Falta de controle
A sigla afirma que, apesar da preocupação da Corte Eleitoral com as chamadas ‘fake news’, as notícias falsas “não foram controladas, seja pelo TSE, seja pelo aplicativo de mensagens”. “As notícias falsas, difamatórias, mentirosas e de ódio grassaram país à fora numa quantidade incalculável e ajudaram a definir opções de voto e manifestações de apoio a determinados candidatos”, afirma o PSOL, para quem a situação tem “desequilibrado o pleito eleitoral”.
Atualmente, o WhatsApp permite que um usuário encaminhe uma mensagem para 20 destinatários. Nesta semana, a ONG SaferNet Brasil, integrante do Conselho Consultivo Sobre Internet e Eleições do TSE, sugeriu que o aplicativo reduza este número para cinco, como é feito na Índia.
Em nota divulgada mais cedo, o aplicativo afirmou que “tem proativamente banido centenas de contas durante o período das eleições brasileiras”. “Temos tecnologia de ponta para detecção de spam que identifica contas com comportamento anormal ou automatizado, para que não possam ser usadas para espalhar spam ou desinformação”, continua a nota do WhatsApp.
Correio Braziliense

RN participa de dois eventos nacionais de turismo com início nesta sexta

A mais importante feira nacional voltada ao turismo de aventura inicia sua 19ª edição nesta sexta-feira, na Expo São Paulo. Serão três dias de oportunidade para o Rio Grande do Norte vender seus destinos na Adventure Sports Fair para um público potencial de 30 mil visitantes que ama atividades ao ar livre e busca opções para esta modalidade do turismo.
O estande do Rio Grande do Norte já está adornado com painéis de alguns points de aventura, a exemplo do mergulho em Maracajaú, o voo de parapente na Serra do Lima, em Patu, ou o esporte náutico com o kite e Wind surf em São Miguel do Gostoso, e ainda o mix de atividades de aventuras na região de serras do Agreste/Trairi.
O visitante também poderá degustar castanhas e geleias de frutas regionais, com presença dos próprios fabricantes, oriundos de projetos de agricultura familiar, a convite do projeto Governo Cidadão, que viabiliza a participação do Estado potiguar com recursos do empréstimo junto ao Banco Mundial.
Paralelo à Adventure Sport Fair, outra equipe da Setur RN e Emprotur estarão no Festival de Turismo de João Pessoa, que acontece nesta sexta e sábado, acompanhados de uma comitiva de hoteleiros. Com formato voltado à integração entre os setores de viagem e turismo, recebe aproximadamente 3,5 mil profissionais do segmento e mais de 200 estandes, nacionais e internacionais.
“São dois eventos de perfis distintos e ambos acrescentam em nosso programa de divulgação dos nossos destinos, seja no mercado do público final em busca de turismo de aventura ou com profissionais, entre agentes e operadores de turismo que serão capacitados a venderem nossos destinos”, comentou o secretário estadual de Turismo, Manuel Gaspar.
A participação do Estado potiguar em ambos os eventos contam com recursos do Governo Cidadão via empréstimo do Banco Mundial.

Pesquisa Vox Populi/CUT: Bolsonaro tem 53% e Haddad 47% dos votos válidos

Pesquisa Vox Populi/CUT divulgada na manhã desta sexta-feira aponta: Bolsonaro tem 53% das intenções de voto válidos e Haddad tem 47%. Nos votos totais, considerados brancos, nulos e indecisos, o número é de 44% para Bolsonaro e 39% para Haddad, uma diferença de apenas 5 pontos, com 12% de brancos, nulos e “ninguém” e 5% de “não sabe” e “não respondeu”.
Em votos espontâneos válidos, a pesquisa indica Bolsonaro com 54% e Haddad com 46% – oito pontos percentuais de diferença. Haddad tem 41% de rejeição contra 38% de Bolsonaro. 7% dizem que podem votar em qualquer um dos dois, 8% dizem que não votam em nenhum e 5% não sabem ou não responderam.
Dos entrevistados, 66% acreditam em vitória de Bolsonaro e 24% na de Haddad. 56% disseram ter assistido o horário eleitoral gratuito e 44% disseram que não assistiram. 23% afirmaram que o melhor programa do horário eleitoral gratuito é o de Haddad e 22% disserem que é o de Bolsonaro.
A pesquisa foi contratada pela CUT e contou com 2 mil entrevistas aplicadas em 120 municípios nos dias 16 e 17 (terça e quarta). A margem de erro é de 2,2%, estimada em um intervalo desconfiança de 95%. A sondagem foi registrada no TSE com o número BR-08732/2018.
  
Com informações do Portal Paraiba.com.br

Equipe de Bolsonaro propõe desoneração ‘permanente’ da folha de pagamento

Os economistas da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas eleitorais, propõem uma desoneração “urgente” de todos os encargos que incidem sobre a folha de pagamento das empresas. A medida, segundo o grupo, é necessária para diminuir o quadro de 13 milhões de desempregados.
A nova desoneração seria compensada com outras fontes de receita, mais eficientes e que não onerem a produção, disse, sem dar mais detalhes, o ex-diretor do BNDES Carlos Alexandre da Costa. Ele integra o grupo de economistas recrutados pelo coordenador econômico de Bolsonaro, Paulo Guedes, indicado como ministro da Fazenda caso o candidato ganhe a eleição.
A política de desoneração da folha de pagamento começou a ser adotada em 2011, durante o governo Dilma Rousseff, com a substituição da cobrança de uma alíquota de 20% de contribuição previdenciária sobre a folha de salários por um porcentual sobre o faturamento. Desde então, a União já abriu mão de R$ 100 bilhões em arrecadação.
A ideia inicial era conceder o benefício de forma temporária para segmentos com problemas de competitividade que haviam sido prejudicados pela crise financeira internacional. Ao longo do tempo, porém, o benefício foi sendo estendido a outros setores e renovado sucessivamente. O elevado custo do programa, no entanto, obrigou a União a rever essa política a partir de 2015, em meio à forte pressão contrária do Congresso. Atualmente, 17 setores ainda têm o benefício, que acaba para todos no fim de 2020.
“Não é para fazer o que o governo do PT fez. Não é para desonerar a folha salarial e depois o governo ficar de pires na mão”, afirma Costa. Responsável pelo núcleo da campanha que cuida do emprego, produtividade e crédito, ele disse que é preciso reduzir todos os encargos que incidem sobre a folha, além dos 20% da alíquota previdenciária. “Queremos fazer uma desoneração permanente e não temporária”, diz. “Há várias possibilidades, mas temos de ter acesso aos dados da Receita Federal para fazer simulações mais precisas.”
A ideia, segundo ele, é buscar outras fontes de recursos sem prejudicar o equilíbrio fiscal do governo. “É parte da reforma tributária, mas como a situação de emprego é tão emergencial, é possível que seja uma primeira medida em realinhamento com a reforma que queremos fazer.”
Depois das eleições do primeiro turno, Bolsonaro prometeu – em uma live do Facebook – que ia insistir na desoneração da folha de pagamentos. “Vamos tirar o Estado do cangote de quem produz”, afirmou o candidato.
Como antecipou o jornal O Estado de S. Paulo e o Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), a equipe de Bolsonaro tem como meta a geração de 10 milhões de empregos em quatro anos, sendo 6 milhões nos dois primeiros anos. O “Plano Emergencial de Emprego” se sustenta também pela retomada das obras do programa de moradia popular e pela redução da rotatividade do trabalhador nas empresas.
As metas de emprego foram feitas com base num crescimento anual de 3,5%, apontado como conservador pelo economista. A meta de alta de produtividade é de 20%. “Um crescimento de 3,5% ao ano gera 6 milhões de empregos com base na situação deprimida que estamos vivendo”, diz. Ele citou que o Brasil tem hoje 23 milhões de pessoas desempregadas, em desalento ou subocupadas.
Para Costa, as reformas estruturais, que podem garantir a volta das contas públicas para o azul e maior produtividade, têm potencial de criar 6 milhões de empregos em quatro anos. Outras medidas em análise devem garantir mais 4 milhões de vagas. Elas incluem, além da reforma tributária, medidas para aumentar a segurança jurídica, redução do custo do crédito, ações para o aumento da competição no mercado financeiro de capitais, redirecionamento das verbas de inovação, abertura comercial gradual e negociada, redução dos incentivos que não têm efetividade, fortalecimento do Cade e aperfeiçoamento dos marcos regulatórios. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Quase 70% das estradas do RN estão em más condições, diz CNT

O Rio Grande do Norte tem 69,7% da malha viária com condições insatisfatórias de trânsito, segundo relatório da Confederação Nacional do Transporte (CNT). O levantamento aponta que o poder público necessita de R$ 524,33 milhões para as ações emergenciais de reconstrução e restauração de estradas.
O estudo da CNT analisou 1.856 Km de rodovias – federais e estaduais – do Rio Grande do Norte. Do total da malha viária potiguar, a CNT avaliou que 1,18 mil quilômetros apresentam desgastes, afundamentos, trincas ou estão destruídos.
A estrada em pior condição de trânsito é a rodovia federal BR-226, com 42 quilômetros, que recebeu a classifi cação de péssima em todos quesitos (Estado geral, pavimento, sinalização e geometria).
As duas rodovias com as melhores avaliações foram a BR-104 e BR304. As duas estradas receberam boas avaliações para a pavimentação.
De acordo com o estudo, são necessários R$ 524,33 milhões para as ações emergenciais de reconstrução e restauração das estradas potiguares. A CNT reforça a necessidade para obras de recuperação do asfalto, bem como melhoria da sinalização. Somente com a manutenção viária, o levantamento estima de R$ 229,77 milhões.
Agora RN

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

PESQUISA SETA/BLOGDOBG CRUZAMENTO: 11% dos eleitores de Fátima votam em Bolsonaro; 22% dos de Carlos Eduardo votam em Haddad

O instituto SETA também fez um cruzamento nos números referentes às intenções de voto para os candidatos do Governo do Estado e da Presidência da República.
Entre os eleitores de Fátima Bezerra, 80% afirmaram acompanhar o candidato a presidente dela e votar em Fernando Haddad, porém, 11% afirmou que vai votar em Jair Bolsonaro. Já com Carlos Eduardo Alves, 70% afirmaram votar em Bolsonaro e 22% disseram votar em Haddad.
Entre os que pretendem votar branco e nulo para Governo do Estado, 47% afirmaram que também vão repetir a mesma postura para presidente, porém 25% deles afirmou que votará em Bolsonaro e 15% em Haddad.
A pesquisa do Instituto Seta encomendada pelo Blog do BG escutou 1300 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 13 e 15 de outubro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-00988/2018 e BR-08895/2018. Ela foi calculada com margem de erro de 3% e com grau de confiança de 95%.

PESQUISA SETA/BLOGDOBG CRISTALIZAÇÃO: 73% dos potiguares não mudarão o voto; 12% podem mudar

A pesquisa do Instituto SETA também quis saber dos eleitores se eles mudariam ou não o voto até o dia das eleições, independentemente, de candidato a presidente ou governador. E nesse cenário, 73% dos eleitores afirmaram ter o voto cristalizado, ou seja, sem possibilidade de mudança. Apenas 12% disseram que poderiam mudar. 15% se mostraram indecisos.
A pesquisa do Instituto SETA encomendada pelo Blog do BG escutou 1300 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 13 e 15 de outubro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-00988/2018 e BR-08895/2018. Ela foi calculada com margem de erro de 3% e com grau de confiança de 95%.

PESQUISA SETA/BLOGDOBG: 21% podem mudar de governador em caso de apoio a presidente sem afinidade e 54% não mudam mais

O instituto SETA também quis saber dos eleitores potiguares se eles mudariam de voto para governador, caso o candidato deles apoiasse um candidato a presidente que ele não não tem afinidade ou que não simpatiza. Nesse caso, 21% dos eleitores afirmaram que sim, mudariam o voto caso isso acontecesse.
Outros 54% disseram que não mudariam o voto para governador caso houvesse alguma divergência entre o candidato a presidente apoiado pelo candidato ao governo dele e ele. Outros 25% ficaram indecisos.
A pesquisa do Instituto Seta encomendada pelo Blog do BG escutou 1300 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 13 e 15 de outubro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-00988/2018 e BR-08895/2018. Ela foi calculada com margem de erro de 3% e com grau de confiança de 95%.

PESQUISA SETA/BLOGDOBG GOVERNO SENTIMENTO: 54% dos eleitores acreditam na vitória de Fátima; 21% em Carlos Eduardo

A pesquisa Seta também quis saber dos eleitores qual candidato eles acreditam que vai ganhar as eleições desse ano para o cargo de governador. Esse sentimento dado independentemente do voto em que o eleitor vai depositar nas urnas.
Nesse cenário, 54% dos eleitores potiguares disseram acreditar na vitória da candidata Fátima Bezerra. Uma fatia de 21% disse acreditar na vitória de Carlos Eduardo Alves. Não souberam ou não opinaram somaram 25%.
A pesquisa do Instituto SETA foi encomendada pelo Blog do BG escutou 1300 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 13 e 15 de outubro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-00988/2018 e BR-08895/2018. Ela foi calculada com margem de erro de 3% e com grau de confiança de 95%.

PESQUISA SETA/BLOGDOBG PRESIDENTE REJEIÇÃO: Bolsonaro tem 35%; Haddad, 28%


O BlogdoBG e o Instituto SETA divulgam hoje a primeira das três pesquisas eleitorais do segundo turno no Rio Grande do Norte. E analisando-se a rejeição dos candidatos, ou seja, aquele em que o eleitor não vota de maneira alguma, Jair Bolsonaro tem 35%. Fernando Haddad tem 28%.
A pesquisa do Instituto Seta encomendada pelo Blog do BG escutou 1300 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 13 e 15 de outubro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-00988/2018 e BR-08895/2018. Ela foi calculada com margem de erro de 3% e com grau de confiança de 95%.

PESQUISA SETA/BLOGDOBG PRESIDENTE ESTIMULADA: Haddad tem 45%; Bolsonaro, 35%

O BlogdoBG e o Instituto SETA divulgam hoje a primeira das três pesquisas eleitorais do segundo turno no Rio Grande do Norte. Na corrida eleitoral rumo ao Palácio do Planalto, o candidato a presidente Fernando Haddad lidera a corrida com 45% das intenções de voto. Bolsonaro aparece 10% atrás com 35%. O total de brancos e nulos somou 13%. O de indecisos, 7%.
A pesquisa do Instituto Seta foi encomendada pelo Blog do BG e escutou 1300 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 13 e 15 de outubro e foi registrada na Justiça Eleitoral sob os protocolos RN-00988/2018 e BR-08895/2018. Ela foi calculada com margem de erro de 3% e com grau de confiança de 95%.