sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Esse final der semana tem vaquejada em Pedra Preta/RN

Henrique diz que votação de PEC que aumenta repasse ao FPM é inevitável

Presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, durante reunião de líderes partidários para definir a pauta de votação da Casa (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
A ameaça de pautas controversas na Câmara dos Deputados, que acarretem mais gastos para o governo, motivou mais uma tentativa de retomada de diálogo entre o Executivo e o Legislativo. A tensão entre os dois Poderes já estava instalada mesmo antes dos resultados nas urnas que reelegeram a presidenta Dilma Rousseff e de reações parlamentares como a que derrubou, ontem (29), o projeto de criação da Política Nacional de Participação Popular, estratégico para o governo. Numa reunião no Palácio do Planalto, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, optou pela cautela ao falar com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). “A preocupação que ele revelou foi com a questão do final do ano, com questões fiscais que preocupam muito”, explicou Alves. Segundo ele, no encontro, qualificado como “respeitoso”, Mercadante apenas pediu para que fosse informado sobre as pautas que a Casa votará. “Fiquei de remeter alguns pleitos que estão aqui, apenas isso”, completou.
Na pauta indicada por Henrique Alves, antes do fim do processo eleitoral, estavam propostas elencadas como prioritárias pelos líderes partidários, como a PEC 555/06 que acaba com a contribuição previdenciária de inativos, e a PEC 426/14 que aumenta os repasses da União ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Eu fiquei de relacionar do ponto de vista institucional. Não pode ser decisão solitária”, destacou Alves sobre a contribuição dos inativos. No caso do FPM, o presidente da Casa adiantou que a votação é inevitável. “A situação dos municípios hoje é dramática, insustentável. [Os municípios] receberam muitas demandas, muitas obrigações, contrapartidas, estão sem orçamento, sem autonomia. Certamente vamos votar na próxima semana”, disse.

Lagoa de Velhos/RN: Prefeito Igor Araújo segue como favorito para a reeleição


O jovem prefeito de Lagoa de Velhos, Igor Araújo, continua sendo o favorito para ser reeleito nas eleições municipais de 2016, tendo em vista o grande sucesso obtido nas eleições estaduais deste ano, onde no primeiro turno mostrou sua força política fazendo o deputado federal Felipe Maia e o estadual Ricardo Motta, os mais votados dentro do município, quem também foi apoiada pelo gestor e ganhou de lavada em Lagoa de Velhos foi a senadora Fátima Bezerra, que teve quase o dobro de votos de sua adversária Wilma de Farias. Vale salientar que apesar do grupo ter seguido dividido no primeiro turno, onde o prefeito Igor, a vice prefeita Elíria e alguns vereadores apoiaram deputados diferentes, o grupo se manteve unido em prol da candidatura de Henrique Alves para o governo do estado, que infelizmente não obteve o sucesso desejado no primeiro turno, onde perdeu para o seu concorrente Robinson Faria por uma diferença de 89 votos.
Já no segundo turno o jogo virou, mais uma vez o grupo liderado pelo prefeito Igor Araújo e pela vice prefeita Elíria Souza mostrou sua força dentro do município, quando tornou realidade um fato quase impossível, que foi tirar os 89 votos que Robinson teve a mais no primeiro turno e colocou mais 29 votos em cima, fazendo com que Lagoa de Velhos fosse uma das únicas cidades do estado onde Henrique conseguiu virar o jogo (Se não for a única).
Esse fato mostra a força e o comprometimento que a atual gestão tem tido com a população Lagoense, dando a certeza que esse grupo comandado por esses dois jovens,que foram eleitos nas eleições municipais de 2012 continua firme e forte, rumo as eleições municipais de 2016, mas claro, sempre com o pé no chão e procurando atender os anseios da população.    

Henrique Alves quer concluir votação da PEC do Orçamento Impositivo na próxima semana

DSC_6818
Brasília (DF) – O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, anunciou nesta quinta-feira (30), que o Plenário deverá concluir a votação da PEC do Orçamento Impositivo (358/13) na próxima semana. A proposta obriga o governo federal a pagar as emendas apresentadas por deputados e senadores ao Orçamento da União. Ele já comunicou a sua intenção de votar a matéria ao ministro-chefe da Casa Civil, Aluzio Mercadante, com quem esteve reunido nesta quinta-feira. “Eu o informei que quero deixar a Casa com essa matéria votada”.
Pelo texto da PEC, o governo terá de pagar até 1,2% da receita corrente líquida realizada no ano anterior em emendas, desde que metade desse dinheiro seja voltado para a saúde. O texto base da PEC foi aprovado em 1º turno em maio deste ano, mas falta a votação de dois destaques. Um deles, apresentado pelo DEM e apoiado pela bancada da saúde, quer retirar da PEC os limites mínimos de recursos da União a serem investidos em saúde. Esses parlamentares preferem a definição dos limites por uma lei, como é hoje, por ser uma norma mais fácil de ser alterada.
Henrique Alves afirmou que vai negociar um acordo para permitir a aprovação do texto sem alterações, pois as mudanças fariam a matéria voltar para o Senado, inviabilizando a aprovação da PEC neste ano. “Eu vou conversar com a oposição para chegar a um entendimento; até porque eu ajudei a construir o texto aprovado pelo Senado”

Robinson destaca a participação popular na campanha em entrevista na Band


robinson-entrevista
A importância da participação popular na campanha ao Governo do Estado foi destacada pelo governador eleito para a próxima gestão no Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) em entrevista na Band com Robson Carvalho nesta quinta-feira (30). “Nossa caminhada e nossa vitória foi feita pelas pessoas anônimas, professores, trabalhadores, profissionais da saúde, policiais que acreditaram no nosso projeto e foram para as ruas pedir votos para o nosso 55”, destacou.
Robinson relembrou que em muitos municípios, os dois lados – situação e oposição – estavam no palanque adversário, mas isso não alterou a vontade popular. “Enfrentamos dificuldade em municípios como Assú e Pau dos Ferros onde os dois lados (e as vezes até os três lados) estavam no outro palanque. Mesmo assim, as pessoas optaram pelo voto livre, pela liberdade de escolher e somos muito gratos a essas pessoas por acreditarem e exercerem a cidadania”, comentou Robinson. Durante a entrevista, o governador eleito falou ainda sobre equipe de transição e o governo técnico que pretende implantar no Rio Grande do Norte. “Reafirmamos nossos compromissos de fazer uma gestão técnica, voltada para a população”, justificou.
Sobre a relação com o governo federal, Robinson frisou a aliança com o Partido dos Trabalhadores (PT). “Essa nossa eleição foi vitoriosa em todos os sentidos: iremos trabalhar em parceria com os deputados estaduais, com os deputados federais, com a senadora eleita Fátima Bezerra e a presidente Dilma. Teremos uma parceria grande com a presidente Dilma contribuindo para as transformações sociais e econômicas que o nosso Rio Grande do Norte precisa”, comenta. A votação de Robinson e o seu vice-governador Fábio Dantas (PCdoB) no Rio Grande do Norte foi de 877.286 com participação dos partidos PSD, PT, PC do B, PP, PT do B, PEN, PRTB e PTC na coligação Liderados pelo Povo.

Robinson indica vice Fabio Dantas para coordenar a trânsição do novo governo

56I6I35IU32
O governador eleito do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), anunciará na próxima segunda-feira, provavelmente através de nota pública, a relação dos integrantes da equipe de transição do governo, que deverá ser coordenada, muito provavelmente, pelo vice-governador eleito, Fábio Dantas (PC do B), que já avisou que não será secretário de Estado para poder contribuir com o governo na condição de vice.
Será uma equipe reduzida, formada por quadros do PSD, PT e PC do B, além de membros do grupo responsável pela elaboração do plano de governo. Além de Fábio, a equipe de transição deverá ser integrada pela advogada Tatiana Mendes Cunha, que coordenou o plano de governo de Robinson, e indicados do PT.
Ao todo, a equipe deverá ter dez membros. A transição também será dividida em núcleos. A equipe estuda os meios de divulgação das informações à sociedade, o que poderá ser feito por meio de relatórios semanais, mensais ou quinzenais.
Fonte: Jornal de Hoje.

Calendário: 2015 terá pelo menos 10 “feriadões”

Se neste segundo semestre de 2014 a maior parte dos feriados nacionais caiu em finais de semana, em 2015 o cenário será bem diferente, para a alegria dos trabalhadores e tristeza de parte do mercado. Quase todos os feriados nacionais cairão em segundas ou sextas-feiras. Outros, em terças ou quintas, quando acabam sendo “imprensados” e incluídos no feriado os dias que ficam entre a data de paralisação e o final de semana.
O comércio é o que sai mais prejudicado dessa história. Só no Rio de Janeiro, por exemplo, a estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) estima que o prejuízo é de R$ 370 milhões, por feriado de meio de semana. Já o setor de turismo não tem do que reclamar.
Contando apenas as datas comemorativas nacionais, 2015 terá 10 feriadões. Em alguns estados, como Rio de Janeiro, por exemplo, esse número pode chegar a 12, considerado feriados regionais.
Confira abaixo o calendário de feriadões de 2015 (considerando apenas datas nacionais):
FERIADOES

“PT ganhou nas urnas, mas não foi aprovado pela maioria da população”, analisa Felipe Maia

Felipe Maia por Sidney Lins Jr 02
A maioria da população brasileira está insatisfeita com o modelo de gestão do governo do PT. Essa é a avaliação do deputado federal Felipe Maia (DEM). Em discurso proferido na quinta-feira (30), na Câmara dos Deputados, o parlamentar comentou os números do segundo turno do pleito presidencial que garantiu a reeleição de Dilma Rousseff.
Da totalidade do eleitorado que votou no último domingo, cerca de 54 milhões de eleitores escolheram o atual governo. No entanto, mais de 58 milhões de pessoas, somando os votos recebidos pelo candidato Aécio Neves, os brancos e os nulos, mostraram seu descontentamento com a administração do PT. Para o deputado, as urnas deram o recado de que o povo quer mudanças na economia e serviços públicos de qualidade. “A sociedade quer menos Estado e mais gente. Quer infraestrutura, saúde, educação e segurança pública. Quer geração de emprego e renda e um crescimento maior que o pífio índice que teremos este ano”, enfatizou Maia.
O parlamentar ainda destacou sua preocupação com o clima de instabilidade enfrentado pelo setor produtivo brasileiro. “Temos um país que não cresce e um empresariado que não tem coragem de investir no chão de fábrica. Peço ao governo que não olhe para o segmento empresarial como inimigo, pois ele paga impostos e é o responsável por milhões de empregos que são gerados no Brasil, garantindo a renda de muitas famílias”, disse.
Felipe Maia concluiu seu pronunciamento ressaltando o envolvimento da população nessas eleições em que milhares de pessoas em todo o país foram voluntariamente às ruas pedir mudanças. “Esse ano vimos a população brasileira se mobilizando para pedir novos rumos ao país. As vozes dessas pessoas são ouvidas e têm ressonância no Congresso Nacional com a oposição para representa-los”, lembrou Maia.

PSDB pede à Justiça “auditoria especial” sobre resultado das eleições

26out2014---aecio-reconhece-derrota-em-discurso-cumprimentei-a-presidente-reeleita-e-desejei-a-ela-sucesso-no-seu-proximo-governo-o-maior-desafio-agora-deve-ser-unir-o-brasil-1414376707792_615x300
Na noite da última quinta-feira (30), o PSDB pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) uma “auditoria especial para fiscalização de todo processo eleitoral”, inclusive a totalização dos votos.
A ação, assinada pelo coordenador Jurídico Nacional do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP), pede que a criação de uma comissão formada por técnicos indicados pelos partidos políticos para a fiscalização dos sistemas da eleição.
Sampaio afirmou que não se trata de pedir uma recontagem dos votos, mas de buscar uma solução para evitar que teorias sobre fraude no processo continuem sendo alimentadas.
No documento, o PSDB alega que a diferença de três horas entre o encerramento da votação no Acre para os demais Estados, e a margem apertada de diferença na eleição presidencial, “são elementos que acabaram por fomentar, ainda mais, as desconfianças que imperam no seio da sociedade brasileira”.
No último final de semana, a petista Dilma Rousseff foi reeleita com 51,64% dos votos válidos, o equivalente a 54,5 milhões de votos, derrotando Aécio Neves, candidato do PSDB, que teve 48,36% da votação, ou, 51 milhões de votos.
O partido ressalta que tem “absoluta confiança” no tribunal, mas observa que a forma como o processo todo é feito “não têm se mostrado eficiente para tranquilizar os eleitores”. Segundo o partido, há desconfiança por uma parte considerável da população sobre a não intervenção de terceiros nos sistemas informatizados.
O PSDB requer à Justiça a análise de cópia dos boletins de urna de todas as sessões eleitorais do País; de documentos impressos ou manuscritos gerados; cópia dos arquivos eletrônicos que compõem a memória de resultados obtidas a partir dos dados fornecidos por cada seção eleitoral; arquivos eletrônicos detalhados, originais e completos, correspondentes à transmissão e ao recebimento de todos os dados de apuração; entre outros.
O TSE não havia se manifestado sobre a solicitação dos tucanos até a publicação dessa reportagem.
Leia abaixo a íntegra da nota:
“Foi com muita ansiedade que a nação brasileira aguardou o anúncio do resultado da eleição presidencial, em segundo turno, no último dia 26 de outubro. Enquanto aguardava, em todos os cantos deste País começaram a ser apresentadas denúncias sobre fatos ocorridos durante a votação, principalmente com relação à própria totalização dos votos.
Temos absoluta confiança de que o Tribunal Superior Eleitoral – TSE cumpriu seu papel, garantindo a segurança do processo eleitoral. Todavia, com a introdução do voto eletrônico, as formas de fiscalização, auditagem dos sistemas de captação dos votos e de totalização têm se mostrado ineficientes para tranquilizar os eleitores quanto a não intervenção de terceiros nos sistemas informatizados.
Diante deste quadro de desconfiança por parte considerável da população brasileira, o Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB decidiu apresentar ao TSE, no dia de hoje (30/10), um pedido de auditoria especial, por meio de uma comissão formada por pessoas indicadas pelos partidos políticos, objetivando a fiscalização dos sistemas de todo o processo eleitoral, iniciando-se com a captação do sufrágio, até a final conclusão da totalização dos votos.
Este pedido objetiva, acima de tudo, manter a confiança dos cidadãos brasileiros em suas Instituições e na nossa democracia, pois é este o elemento indispensável para que a legitimidade dos poderes constituídos seja preservada.
Reiteramos nossa confiança na Justiça Eleitoral. Portanto, o que pretendemos com essa medida judicial é garantir que todo e qualquer cidadão também possa ter a certeza de que nossos representantes políticos são, de fato, aqueles que foram escolhidos pelo titular da soberania nacional: o povo brasileiro”.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Lagoa de Velhos/RN: Prefeitura realiza limpeza do açude do bubú

A prefeitura municipal de Lagoa de Velhos, através da secretaria de obras e serviços urbanos, deu início ao cronograma de limpeza dos açudes do município, tendo em vista o inverno que se aproxima.
O primeiro açude a ser limpo, foi o açude da sede do município, conhecido popularmente como açude do bubú, na oportunidade foi realizada a limpeza do mato e a retirada da lama, deixando assim o açude mais fundo e com capacidade pra armazenar mais água.
Segundo o prefeito Igor Araújo, o trabalho deve ser feito nos demais açudes do município, assim como na lagoa que deu origem ao nome do município, levando em consideração que esse trabalho de limpeza já foi realizado na referida lagoa diversas vezes durante esses quase 2 anos de gestão, mantendo um ambiente sempre limpo, a espera das chuvas.







Vem aí a reinauguração do Balneário Áqua Serra na Serra da Tapuia

Lagoa de Velhos/RN: Vem aí 2ª Copa Master de Futsal Sérgio Joaquim dos Santos


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Garibaldi poderá ser de novo Presidente do Senado

z

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, quer voltar à presidência do Senado. Ele manifestou o desejo a aliados depois que Renan Calheiros (PMDB-AL) declarou, ontem, que não pretende tentar a reeleição.
Deu na Coluna Painel – Folha de São Paulo

BC vai lançar moedas para as olimpíadas do Rio

O Banco Central vai lançar uma série de moedas especiais em homenagem à Olimpíada de 2016 que será realizada no Rio de Janeiro. De acordo com a casa da moeda haverá 36 modelos diferentes. Serão 4 de ouro e 16 de prata especiais para colecionador. Neste caso quem quiser uma delas deverá comprar o modelo desejado.
B1JJFrWIEAMg_xU

Henrique ministro de Dilma ?

Engana-se quem pensa que, derrotado nas urnas no domingo, o deputado Henrique Alves (PMDB) está acabrunhado em casa.
Nesta segunda-feira da ressaca eleitoral, Henrique recebeu aliados e lideranças do interior.
Nas conversas que tomaram conta do dia, a política reinou.
Com direito a pensar num futuro onde o deputado federal eleito Walter Alves aparece como candidato a governador, e onde o próprio Henrique aparece como ministro indicado pelo PMDB.
Garibaldi Filho voltaria para o Senado, onde tem 4 anos de mandato pela frente, e Henrique iria compor o governo Dilma.
O caso Petrobras é um caso à parte.
Atinge, pelo que se divulgou até agora, tanto um grupo de 40 parlamentares como o ex-presidente Lula e a presidente reeleita, Dilma Rousseff.
Assunto do dia.

Por: Thaisa Galvão