terça-feira, 24 de junho de 2014

Em Natal: Seis títulos em campo e apenas uma vaga

Uruguai e Itália fazem um jogo decisivo que vale a vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo daqui há pouco na Arena das Dunas, em Natal. O vencedor garante a classificação e o empate dá a vaga para os italianos, que levam vantagem no saldo de gols. No outro jogo do grupo C, a surpreendente Costa Rica tenta manter a liderança enfrentando a Inglaterra no mesmo horário – e precisa de apenas um empate para isso.
No retrospecto, igualdade entre italianos e uruguaios: foram duas vitórias para cada lado e quatro empates. Em Copas do Mundo, um empate em 0 a 0 em 1970, e uma vitória da Itália por 2 a 0 vinte anos depois. O número de gols também mostra equilíbrio entre as seleções: sete, cada.
O último encontro entre as duas equipes marcou uma emocionante disputa pelo terceiro lugar da Copa das Confederações. Na ocasião, Cavani anotou os dois gols uruguaios e Astori e Diamanti – que não vieram à Copa – marcaram para os italianos no empate em 2 a 2. Nos pênaltis, Buffon defendeu as cobranças de Diego Fórlan, Martin Cáceres e Walter Gargano, e a Itália venceu a disputa por 3 a 2.
“É óbvio que vamos jogar com pressão, porque dos três resultados possíveis (empate, derrota ou vitória), apenas um nos interessa. Mas não jogaremos desesperados. Tenho um grupo que está acostumado a resistir à pressão e que responde bem a ela”, disse o técnico do Uruguai, Oscar Tabárez. Os uruguaios vão para o jogo com a moral em alta, após vencerem a Inglaterra na última rodada, com dois gols de Luis Suárez.
Por outro lado, os italianos, que estrearam vencendo os ingleses, mas sofreram umaderrota para a zebra Costa Rica e ficaram em alerta para uma possível eliminação precoce, como ocorreu há quatro anos, no Mundial da África do Sul. “Precisamos mostrar nossa força e orgulho e obter a vitória. Precisamos ter cabeça fria, assim como uma grande motivação. Se não passarmos da primeira fase, será um fracasso”, analisou o goleiro e capitão Gianluigi Buffon, que disputa sua quinta Copa do Mundo.
VEJA

Nenhum comentário: