segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Michel Temer tenta evitar ira de Cunha e pede que ele reduza ataques ao governo

CNK6mPEWwAAq5C0O vice-presidente Michel Temer (PMDB) pediu ao presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que reduza os ataques ao governo Dilma, a aliados e até ao Ministério Público. Na conversa que teve com Cunha na última sexta-feira, segundo aliados, Temer tentou acalmar o deputado e argumentar que o estilo “metralhadora giratória” só o prejudicará ainda mais.
A interlocutores, Cunha prometeu ser mais tranquilo, mas avisou que vai reagir para se defender das denúncias do Ministério Público sempre que necessário. Apesar do tom ameno, afirmou a aliados que a oposição e o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Gilmar Mendes estão em seu papel, e que é direito deles dar seguimento a ações contra a presidente Dilma Rousseff.
Cunha disse aos colegas do PMDB que já vem adotando postura de tranquilidade nas votações de projetos da chamada pauta-bomba, que podem aumentar os gastos do governo em época de crise.
Amanhã, a oposição se reunirá com juristas para conversar sobre o ambiente para a apresentação de um pedido de impeachment contra Dilma ao Congresso. Parte dos parlamentares defende a ideia de fazê-lo já. Mas outra parte, após declarações do empresariado a favor da permanência da presidente no cargo, acha que o melhor é aguardar decisão do Tribunal de Contas da União ou do Tribunal Superior Eleitoral.
— A crise é gravíssima, e não podemos agir com irresponsabilidade e muito menos com covardia. Há pessoas com medo da instabilidade, mas de nada adianta admitir um governo sem condições de governabilidade por três anos e meio — disse o vice-líder do PSDB, Marcus Pestana (MG).

O Globo

Nenhum comentário: