sexta-feira, 13 de julho de 2018

PROCON Natal constata aumento de 2,48% no mês de junho na cesta básica

Resultado de imagem para cesta básica
O PROCON NATAL – Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal realiza semanalmente pesquisa de cesta básica nos principais estabelecimentos comerciais da cidade, durante todos os meses do ano, onde constatou-se variação nos preços da cesta básica com 40 (quarenta) itens divididos por categorias como: mercearia, açougue, hortifrúti, higiene e limpeza.
As pesquisas foram realizadas nas quatro semanas do mês de maio, junto a 6 (seis) hipermercado 4 (quatro) supermercados, como também 10 (dez) supermercados de bairro denominados de mercadinhos, contemplando as (4) quatro zonas de Natal.
CATEGORIAS PESQUISADAS
Em análise por categoria na pesquisa são verificados itens em; mercearia (14) quatorze , açougue (7) sete, higiene e limpeza (6) seis, e (13) treze de hortifrúti.
A pesquisa encontrou uma variação nos meses de maio e junho, pesquisados em quarenta produtos por categorias que compõe a cesta básica de hipermercados, a variação por categoria é de (0,46%); (-2,81%); (-6,59%) e (5,90%), respectivamente. Já nos mercadinhos foi encontrado uma variação com o mês anterior nas categorias pesquisadas de, (1,23%); (8,59%); (-5,89%) e (-3,92%) respectivamente.
ANÁLISE DA ALIMENTAÇÃO
Os motivos encontrados que justificam as oscilações nos preços dos produtos da cesta básica no mês de junho é reflexo da instabilidade da categoria dos caminhoneiros, devido a negociação do governo em tabela os fretes e a redução no diesel. Afetando diretamente a produção e o consumidor final. E o PROCON NATAL, orienta os consumidores natalense a uma pesquisa na hora da compra uma vez que se faz necessário, visto que se encontra preço dos produtos pesquisados muito elevados e o consumidor deve ficar atento quanto ao preço abusivo. Em análise mais detalhada dos diferentes comportamentos de preço é apresentada a seguir nas seguintes categorias.
HORTI FRUTI
Na categoria de hortifrúti no mês de junho a media ficou em (R$ 40,95) e no mês anterior foi de (R$ 38,54) e isso deu uma variação de (5,90%). Já no mercadinho foi encontrado uma variação negativa de (-3,92%) com (R$33,95) em média no preço no mês de junho e (R$35,90) de preço médio em maio.
Nos hipermercados nessa categoria, o chuchu se destacou com uma variação que chegou a (655,56%) entre o maior e o menor preço vendido que foi na segunda semana do mês, onde o menor preço do kg foi de (R$ 0,99) e o maior preço do quilo foi de (R$ 7,46). Nos mercadinhos foram encontrados produtos com grande variação e o caso do tomate, chuchu e a batata que foi encontrado com diferença superior a (200%) entre o maior e o menor preço na primeira semana do mês, mas o chuchu teve sua maior variação assim como nos hipermercados, na segunda semana do mês a variação foi de (278,79%) com o maior preço (R$ 3,75) e o menor de (R$ 0,99).
Essa categoria continua bastante prejudicada mesmo com o fim da paralisação dos caminhoneiros, por ser produtos perecível e o frete desses produtos estão diretamente atrelado ao preço final que chega ao consumidor. A pesquisa identificou um aumento na variação positiva dos produtos dessa categoria nos supermercados, enquanto nos mercadinhos a variação foi negativa, sendo opção aos consumidores natalenses comprar frutas e verduras nos mercadinhos de bairro.
AÇOUGUE
Essa categoria é uma das mais elevadas na classificação por categorias, são produtos que compõe essa categoria; carne de 1º alcatra e de 2º o músculo, carne de sol de primeira, frango congelado, ovos queijo coalho e pescado filé de merluza e ou polaca, com preço médio mensal de (R$146,47) e no mês de maio (R$150,59) com variação negativa de (-2,81%) para os supermercados e nos mercadinhos de (R$138,87) e no mês de anterior de (R$137,16) com uma variação de (1,23%).
Nos supermercados pesquisados os produtos que se destacaram com uma variação muito alta em relação aos outros produtos foi o pescado filé de merluza e o frango congelado que teve uma variação de (105,40%) na segunda semana e de (100,75%) na terceira semana, entre o maior e menor preço. O pescado filé de merluza na primeira semana teve uma variação de (100,30%) na primeira semana com seu maior valor de (R$39,86) e seu menor preço de (R$19,90). Já nos mercadinhos de bairro nessa categoria encontramos o frango congelado e ovos com as maiores variações, na primeira semana foi encontrado a bandeja de ovos com doze unidades com seu maior preço de (R$8,29) e seu menor preço de (R$ 4,99) com uma variação de (66,13%) entre o maior e o menor preço, o frango congelado, o quilo apresentou uma varição de (66,78%) na última semana do mês com seu maior preço de (R$9,49) e o menor preço de (R$5,69).
HIGIENE E LIMPEZA
Nessa categoria os itens do grupo de limpezas pesquisadas são; sabonete comum de 90 g, creme dental de 90 g, água sanitária de 1L, detergente líquido de 500ml, sabão em pó pacote de 500 g e sabão em barra de 200 g. Registraram um preço médio de (R$ 13,80) no mês de maio e de (R$12,95) em junho com uma variação mensal de (-6,59%), no mercadinho a variação foi negativa de (-8,59%) o preço em média em maio foi de (R$ 14,80) e em maio e de (R$ 13,63) em junho.
Sendo esses produtos industrializados a variação dessa categoria varia muito em relação as promoções que as grandes redes de hipermercados fazem durante os dias da semana, o mesmo e observado para os mercadinhos de bairro a variação entre o maior e o menor preço.
MERCEARIA
Nessa categoria encontra os produtos de subsistências na cesta básica pesquisada por esse órgão são; arroz agulhinha tipo 2 o quilo, feijão carioquinha o quilo, açúcar cristalizado quilo, sal refinado o quilo, fubá pré-cozido, farinha de mandioca o quilo, macarrão sêmola 500 g, café 250 g, pão francês o quilo, leite pasteurizado o litro, óleo de soja 900ml, margarina 250 g, biscoito maisena 500 g e creme cracker 500 g.
A variação mensal nos supermercados dessa categoria foi negativa em (0,46%) de (R$ 50,00) no mês de maio e de (R$ 50,24) no mês de junho. Nos mercadinhos a variação foi maior de (1,47%) com seus valores em média de (R$ 48,90) em maio e (R$ 49,62) no mês de junho.
Nas grandes redes de supermercados a categoria de mercearia foi muito atingida pela paralisação dos caminhoneiros e vários produtos se destacaram chegando a variações que ultrapassavam os (100%) do maior e menor preço encontrado nessa pesquisa realizada pelo PROCON NATAL, dentre os produtos destacamos em todas as semanas da pesquisa no mês foi o sal refinado, macarrão, fubá e bolacha salgada. Para os mercadinhos podemos destacar nessa categoria uma varição durante as semanas pesquisadas nos seguintes produtos o sal refinado e farinha de mandioca, esses produtos elevaram a categoria de mercearia. Essa variação positiva é devido aos produtos que estão diretamente afetados pela paralisação dos caminhoneiros no mês anterior e que se reflete no mês de junho.
Veja gráficos e estabelecimentos clicando em texto na íntegra aqui

Nenhum comentário: