sexta-feira, 11 de abril de 2014

Lucrécia/RN: Após 8 anos, potiguar vira médico em cidade onde dirigia ambulância

Ricardo Dantas transportou pacientes em ambulância por cinco anos em Lucrécia, RN (Foto: Arquivo pessoal/Ricardo Dantas)Um motorista de ambulância que deixou sua cidade no interior com o sonho de estudar Medicina e voltou oito anos depois como médico formado. O caso aconteceu em Lucrécia, município de pouco mais de três mil habitantes na região Oeste do Rio Grande do Norte, onde nasceu Ricardo Dantas Duarte, de 39 anos. Filho de um agricultor e de uma merendeira, o protagonista da história atualmente trabalha como médico do Programa de Saúde da Família (PSF), coordena uma unidade de urgência da cidade, dá plantão em municípios vizinhos e ainda arruma tempo para atender pacientes em um consultório montado na própria casa.
"Disseram que era loucura", conta Ricardo ao lembrar do plano para se tornar médico. O então motorista de ambulância deixou a mulher e a filha de dois anos e vendeu os únicos bens que tinha - uma casa e um carro - para fazer o curso na Bolívia. Na cidade de Cochabamba morou de favor em um quarto nos fundos da casa de um conhecido. "Era do pai de um amigo que conheci em Lucrécia. Um médico boliviano que me incentivou a correr atrás desse sonho", explica Ricardo, que também é formado em Pedagogia.




Ricardo chegou à Bolívia no segundo semestre de 2003 em meio a uma série de protestos que culminaram na derrubada do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada. "O país estava quase em guerra civil. Tocaram fogo no ônibus em que eu estava e fugi pela janela. Precisei andar 13 quilômetros até a cidade", lembra o médico, que começou ali uma vida de oito anos na Bolívia, sem nunca ter deixado de visitar a família em Lucrécia, para onde viajava semestralmente de trem e ônibus. "Não dava para pagar viagem de avião", diz.

Nenhum comentário: