quinta-feira, 22 de maio de 2014

Justiça manda solta Tenente da PM suspeito de matar lutador de MMA em Natal/RN


O tenente da Polícia Militar Iranildo Félix de Sousa, principal suspeito de matar a tiros o professor de musculação e lutador de MMA Luiz de França Trindade, de 25 anos - crime ocorrido em fevereiro deste ano na zona Sul de Natal – foi solto no início da madrugada desta quinta-feira (22). Ele passou 60 dias detido no quartel do Comando Geral da PM, no bairro do Tirol, zona Leste da cidade. De acordo com o advogado dele, Marcus Alânio Martins Vaz, “o prazo da prisão temporária expirou e o juiz mandou soltá-lo. Agora ele está em casa”, afirmou. Iranildo foi preso no dia 24 de março.

A soltura do tenente foi confirmada pelo comandante geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, coronel Francisco Araújo Silva. “Ele foi preso por 30 dias. Depois o mandado de prisão foi prorrogado por mais 30 dias. Então, na madrugada de hoje, o prazo acabou e nós cumprimos a decisão do juiz. Neste momento ele deve estar em casa”, disse o comandante.

No dia 6 de maio, um soldado da PM também foi presos suspeito de participação na morte do lutador. Segundo a polícia, Moisés Gonçalo do Nascimento, de 41 anos, é o homem que ajudou o tenente pilotando a motocicleta que foi usada na fuga. O soldado é lotado na Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) e também nega envolvimento no crime.

O inquérito criminal contra o tenente e o soldado foi concluído. No site do Tribunal de Justiça, consta que a denúncia foi puncia  e enviado

O caso

Luiz de França era professor de musculação e lutador de MMA
Luiz de França Sousa Trindade, de 25 anos, foi assassinado a tiros por volta das 9h da manhã do dia 10 de fevereiro na calçada da academia Alta Performance, que fica na rua Serra da Jurema, no conjunto Cidade Satélite, zona Sul de Natal. Segundo a polícia, ele foi atingido por vários disparos de pistola. Na ocasião, o professor e atleta de jiu-jitsu e luta olímpica Ademir Júnior, conhecido como Júnior Sustagen, também foi atingido pelos disparos.

Logo após o crime, o delegado Sílvio Fernando, titular da 11ª DP, revelou que o tenente Iranildo era apontado como o principal suspeito de ter efetuado os disparos em companhia de um outro homem, que teria ajudado o tenente a fugir em uma motocicleta.

Mais dois homicídios

Ex-mulher do tenente, Izânia Bezerra foi morta em Macaíba

No dia em que foi preso, a Polícia Civil concedeu entrevista coletiva e revelou que Iranildo Félix, além de ser suspeito de ter matado o lutador de MMA, também seria praticado outros dois crimes de homicídio. Segundo a delegada adjunta da Divisão Especializada de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), Daniele Filgueira, o tenente é responsável pela morte da ex-mulher dele, a estudante de Direito Izânia Maria Bezerra Alves, de 31 anos, morta no dia 16 de fevereiro em uma estrada carroçável no município de Macaíba, cidade da Grande Natal.

Na ocasião, o tenente estava em um veículo com a ex-mulher e alega terem sido abordados por dois homens em uma motocicleta numa tentativa de assalto. Iranildo foi baleado no abdômen, mas como estava usando colete a prova de balas o ferimento foi superficial. Já a mulher, levou um tiro no pescoço, um no rosto e dois na cabeça.
O outro assassinato atribuído ao tenente não foi revelado pela polícia.

Nenhum comentário: