segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Jogo com Caniggia "fake" vai parar no Procon por propaganda enganosa

Patrick Mesquita 
Do UOL, em São Paulo
  • FRANKIE MARCONE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
    "Falso" Caniggia posa com jogadores de Brasil e Argentina na Arena das Dunas "Falso" Caniggia posa com jogadores de Brasil e Argentina na Arena das Dunas
Era para ser um evento cheio de craques do passado, mas a presença de um Caniggia "fake" em campo fez com que um amistoso entre masters de Brasil x Argentina parasse no Procon. No domingo (23), a Arena das Dunas, em Natal (RN), recebeu um desafio internacional entre veteranos dos dois países. Anunciado como um dos principais nomes da partida, o argentino Claudio Caniggia não compareceu ao jogo. Assim, um "sósia" entrou para atuar no lugar do carrasco brasileiro na Copa de 1990.
Com cabelos longos, loiros e uma faixa, estilo muito similar ao do astro nos bons tempos, Daniel Cordone, que já defendeu Velez Sarsfield e Newcastle, foi escalado para o duelo. Uma boa olhada no visual e, principalmente na habilidade, fizeram com que os torcedores e jornalistas notassem que era outro jogador. A situação pode ter sido cômica na hora do jogo, mas deve terminar de forma complicada.
A ausência de Caniggia não foi a única baixa no evento. Nomes como Ariel Ortega, Emerson Sheik e Júnior Baiano eram aguardados para a partida, mas não compareceram. A falta de alguns dos principais nomes revoltou quem compareceu ao estádio e nesta segunda-feira (24), o Procon de Natal amanheceu com diversas reclamações por propaganda enganosa. O órgão já definiu que vai notificar a Fênix Sports, empresa de marketing esportivo responsável pelo desafio. A multa pode chegar até R$ 6 milhões de acordo com a gravidade do caso e a renda da partida, que teve ingressos entre R$ 20 e R$ 150.
"Vamos notificar os organizadores sim. É uma má prestação de serviço. Existe uma repercussão negativa, gente reclamando. Vamos querer que eles mostrem os contratos. Pode ser publicidade enganosa. Vamos analisar qual foi a publicidade. Uma coisa é falar que é um jogo de futebol máster, com veteranos. Pode ser qualquer jogador. Outra coisa é falar em Ortega e Caniggia, que foram prometidos e não participaram", afirmou o diretor do Procon, Daniel Bandeira em entrevista aoUOL Esporte.
De acordo com a organização, a confusão aconteceu porque o ex-lateral Athirson, responsável por escalar a seleção brasileira, e Mancuso, capitão da Argentina, não avisaram que Caniggia não viria e que outro atleta entraria em seu lugar.
"A Fênix Sports foi informada por Athirson e pelo Mancuso de que Claudio Caniggia viria para o jogo e que estaria escalado para o confronto contra a seleção brasileira. O ex-jogador não se apresentou e a Fênix Sports não foi informada da sua ausência por Athirson nem tampouco Mancuso. Antes da partida, o comando técnico da seleção argentina, sabendo da falta de Caniggia, colocou em seu lugar Daniel Cordone, ex-jogador de Vélez Sarsfield-ARG, Racing-ARG, Newcastle-ING, dentre outros clubes. A mudança não foi informada para a organização, nem para a assessoria para que fosse repassada a imprensa e público presente na Arena das Dunas, permanecendo, assim, a relação publicada anteriormente. Daniel Cordone estava relacionado para o desafio desde o começo, tem alguns detalhes parecidos com Claudio Caniggia como a forma de se vestir, mas em nenhum momento confirmamos ser o mesmo", defendeu-se a empresa em nota oficial divulgada na tarde desta segunda-feira. 
Já Athirson afirmou que Caniggia realmente viria ao Brasil, mas um problema pessoal atrapalhou a viagem do argentino para Natal.
"Na verdade o Caniggia tinha comprado passagem, teve um problema na Argentina e não pode viajar. Ele já estava na relação. O outro jogador não foi colocado para enganar. É que ele realmente parece e é chamado de Caniggia na Argentina. Acabou ficando engraçado pela fisionomia", afirmou Athirson.
Amaral vê medo de "calote" afastar jogadores convidados
Já o ex-volante Amaral, que também participou da partida, lamentou a falta de divulgação do evento e afirmou que alguns atletas deixaram de comparecer porque ficaram com medo de não receber aquilo que foi combinado.
"Faltou gente porque ficaram algumas pendências para arrumar em Natal e muitas pessoas ficaram com medo dessas pendências, mas o pessoal da organização pagou certinho. Você não assina contrato nesse tipo de evento e às vezes tem dificuldade de receber, mas o pessoal pagou certinho", destacou Amaral, sem revelar quem foram os convidados que ficaram com "medo".
Mesmo assim, Amaral se diz satisfeito por ter jogado um clássico "pegado" contra a Argentina. Tanto que ele até ignora o caso do falso Caniggia.
"Parecia ele, mas não era. O cara era bom jogador. O pessoal da organização falou que não era ele. Argentino tem tudo essa mania de cabelo comprido e faixa. Mas o Caniggia não está com tanto cabelo assim, já está todo careca. Os caras acharam que era ele, mas quando ele chegou perto de mim sabia que era eu por causa do meu olho todo torto. O jogo foi pegado, todo mundo xingando e coisa assim", destacou.
Em campo, Brasil e Argentina empataram por 3 a 3. A seleção brasileira contou com nomes como Beto, Petkovic e Adílio. Pela Argentina, jogaram Oscar Ruggeri, Mancuso e Esteban Fuertes.
Veja o esclarecimento da Fênix Sports:
"A FÊNIX SPORTS, agência de Marketing Esportivo, promotora do Desafio Brasil x Argentina realizado no dia 23 de novembro, vem por meio de nota agradecer aos espectadores que compareceram e aos profissionais da mídia que se fizeram presentes ao estádio e esclarecer o lamentável mal entendido ocorrido relacionado aos jogadores Claudio Caniggia e Daniel Cordone.
A FÊNIX SPORTS convidou o ex-jogador ATHIRSON MAZOLLI E OLIVEIRA para que o mesmo convocasse as duas seleções, o que foi feito. Mediante as confirmações DO MESMO, os nomes que iriam compor as duas equipes foram sendo anunciados. Ficou a cargo da FÊNIX SPORTS comprar e emitir as passagens dos atletas, bem como reservar todas as hospedagens em Natal, além do pagamento dos devidos acordos.
A FÊNIX SPORTS foi informada por ATHIRSON e pelo MANCUSO de que CLAUDIO CANIGGIA viria para o jogo e que estaria escalado para o confronto contra a seleção brasileira. O ex-jogador não se apresentou e a FÊNIX SPORTS não foi informada da sua ausência por ATHIRSON nem tampouco MANCUSO.
Antes da partida, o comando técnico da seleção argentina, sabendo da falta de CANIGGIA, colocou em seu lugar DANIEL CORDONE, ex-jogador de Vélez Sarsfield-ARG, Racing-ARG, Newcastle-ING, dentre outro clubes. A mudança não foi informada para a organização, nem para a assessoria para que fosse repassada a imprensa e público presente na Arena das Dunas, permanecendo, assim, a relação publicada anteriormente.
DANIEL CORDONE estava relacionado para o desafio desde o começo, tem alguns detalhes parecidos com CLAUDIO CANIGGIA como a forma de se vestir, mas em nenhum momento confirmamos ser o mesmo.
Outros jogadores que estavam previamente confirmados não puderam comparecer por terem perdido o vôo programado e agendado com destino a Natal. Ambos também acertaram suas vindas com o ex-jogador ATHIRSON, mas não cumpriram com o acordado.
Garantimos que NUNCA, em evento algum promovido pela FÊNIX SPORTS, aconteceu situação semelhante a do último domingo. Deixamos aqui o nosso claro descontentamento com o os selecionadores das duas equipes que deixaram de passar as informações de forma correta, tendo tido a empresa cumprido com suas obrigações com o intuito de proporcionar um evento de alta qualidade ao público, ficando assim um legado de uma grande organização para a cidade."

André Luiz de Paula Moreira da Silva
Diretor da Agência Fênix Sports

Arte/UOL
Caniggia (Esq) e Daniel Cordone nos tempos de Newcastle

Nenhum comentário: